EPA_SAT V venceram a 6ª edição do CanSat Nacional!




A equipa EPA_SAT V, da Escola Profissional de Almada, foi a grande vencedora da 6ª edição do CanSat Portugal, referente ao ano letivo 2018/2019. Parabéns aos novos Campeões Nacionais, que tiveram uma excelente prestação e que vão agora representar Portugal no CanSat Europeu! Apresentaram um projeto muito interessante, que procura tornar o espaço mais acessível a pessoas com necessidades especiais.

Pelo terceiro ano consecutivo, a competição nacional teve lugar na Ilha de Santa Maria, nos Açores. Tal como no ano passado, o Júri selecionou 16 equipas para a fase final, que decorreu nos passados dias 2, 3 e 4 de Maio.

Um dos principais destaques da edição deste ano do CanSat vai para a grande surpresa que oferecemos a todos os participantes: os rockets contendo as latas com os micro-satélites das equipas finalistas foram lançados diretamente a partir do solo (ao contrário do que aconteceu nas edições anteriores, em que foram lançados por avião)! As operações foram realizadas com grande sucesso numa região isolada de Santa Maria. Por sua vez, os lançamentos de teste continuaram a ser feitos por avião no aeroporto da Ilha. Vale bem a pena verem o vídeo com os rockets que aqui partilhamos, assim como as fotos que publicamos na galeria mais abaixo.

 

CanSat 2019, dia 3 de Maio: Lançamento de um rocket na Ilha de Santa Maria (em slow motion).

 

Segundo as novas normas propostas pela ESA, o Júri atribuiu 6 prémios às seguintes equipas:

1º Prémio: EPA_SAT V, da Escola Profissional de Almada. Orientada por Luís Bettencourt e composta por Pedro Pires, António Rodrigues, Pedro Cunha, Vasco Gil e Gabriel Pimentel, esta equipa trouxe à competição um projeto que tem como missão permitir que pessoas com necessidades especiais possam verificar e controlar os parâmetros de temperatura, humidade e qualidade do ar no interior de uma estufa que produza alimentos para a colónia lunar. O principal objetivo da equipa é tornar o espaço acessível a todos, independentemente das suas dificuldades ou deficiências, utilizando por exemplo uma linha Braille, leitores de ecrã e a criação de uma página web própria.

Como prémio, a EPA_SAT V vai representar Portugal de 24 a 28 de junho na final europeia do CanSat, que este ano irá decorrer em Medicina, perto de Bolonha (Itália). Os custos da viagem serão repartidos pela Edisoft e pela própria ESA.

Melhor Desempenho Técnico: GSat: Paper Mission, do Colégio Guadalupe, na Verdizela (Seixal). Esta equipa tinha já vencido a edição do ano passado e ficara classificada em 2º lugar na competição europeia de 2018. Receberam este prémio pelo seu magnífico trabalho de teste e validação da tecnologia de sensores de película fina, para o qual contaram com o apoio da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade NOVA de Lisboa. Como prémio, estes alunos terão direito a um estágio na Edisoft.

Melhor Missão Científica: CanSat 4E3, da Escola Secundária João de Deus, em Faro. Esta equipa fez um excelente trabalho a analisar o espectro eletromagnético que obteve para um corpo celeste observado pelo seu CanSat na região do visível (entre os 400 e os 700 nanómetros). Ganharam um estágio na RAEGE, a Estação Geodésica e Espacial de Santa Maria.

Melhor Trabalho em Equipa: SatEmLat, do Colégio da Nossa Senhora do Rosário, no Porto. Este prémio foi-lhes atribuído por terem concebido um micro-satélite capaz de identificar e compreender o meio envolvente de um exoplaneta, através da recolha e posterior análise de alguns parâmetros essenciais para a existência de vida, tais como: a qualidade do ar, a concentração de oxigénio e a intensidade da luz solar. Ganharam um estágio à sua escolha num Centro Ciência Viva.

Prémio Divulgação: Space6, do Colégio Vasco da Gama. O seu micro-satélite foi capaz de medir as suas próprias coordenadas geográficas durante o trajeto de descida, com a ajuda de um GPS, de modo a facilitar a respetiva localização e recuperação. Ao longo do seu percurso, o CanSat mediu ainda os valores da humidade atmosférica, níveis de radiações e de compostos orgânicos voláteis. O Júri atribuiu-lhes este prémio pelo óptimo trabalho de divulgação científica realizado na sua escola, através do seu próprio website, canal YouTube e num "diário de bordo". Vão ter a oportunidade de realizar também eles um estágio, desta feita numa empresa ligada ao sector aeroespacial, a QSR Consulting.

Menção Honrosa: Pegasus Team, da Escola Secundária Adolfo Portela, em Águeda. Receberam este prémio por terem calculado a temperatura do ponto de orvalho que lhes permitiu determinar a altura a que se formam as nuvens, bem como as suas propriedades físicas. Este estudo teve a colaboração do Departamento de Física e do Centro de Estudos do Ambiente e do Mar da Universidade de Aveiro.

 

O Júri da 6ª edição da competição Cansat Portugal foi presidido por Ricardo Conde, da Edisoft, e composto por Agostinho Fonseca, do Instituto Superior Técnico; Ana Noronha, da Ciência Viva; Duarte Cota, da Escola de Novas Tecnologias dos Açores; Eduardo Ferreira, da NAV Portugal; Rui Agostinho, do Observatório Astronómico de Lisboa; e Susana Espada, do Instituto Geográfico Nacional do Ministério do Fomento do Governo de Espanha e da Estação RAEGE de Santa Maria. 

Ricardo Conde, no papel de Presidente do Júri desta edição do CanSat Portugal, fez questão de se dirigir às equipas no final da competição para lhes dizer as seguintes palavras: "Vocês vão ser os rostos científicos deste País e daqui por uns anos vamos estar a ver-vos triunfar!"

Saibam mais aqui sobre o CanSat Portugal.



Galeria de Fotos







Partilhe





Outras Notícias


Vencedores do Projeto "Eddington e o <i>peso</i> da luz"
Vencedores do Projeto "Eddington e o <i>peso</i> da luz"


Inquérito da ESA: Missões espaciais até 2050
Inquérito da ESA: Missões espaciais até 2050


Astro Pi - 15 equipas Portuguesas finalistas!
Astro Pi - 15 equipas Portuguesas finalistas!