Espaço à Quarta | 4.ª edição

Próxima sessão a 22 de maio: Um Oceano de Vida

 

Reveja a sessão de 17 de abril

 

O ciclo de conversas d’O Espaço à Quarta está de volta, pelo quarto ano consecutivo!

Nesta edição abordamos a importância da ciência e tecnologia espaciais no nosso próprio bem-estar, desde a monitorização da Terra e das alterações climáticas à nossa saúde.

A sessão de 22 de maio  terá como tema Um Oceano de Vida. Saiba mais aqui sobre o tema e os oradores convidados.

 

Todas as sessões d’O Espaço à Quarta têm um painel de convidados e são transmitidas online em tempo real no canal de YouTube do Pavilhão do Conhecimento e na sua página de Facebook. Reveja também as sessões anteriores, saiba mais sobre os seus conteúdos e descarregue as apresentações dos especialistas.

 

O que é? Missão Espaço Janeiro Fevereiro Março Abril Maio 1.ª edição 2.ª edição 3.ª edição

 

O que é?

Organizadas pelo ESERO Portugal, as sessões d’ O Espaço à Quarta têm um ou mais convidados especialistas de empresas ou de centros de investigação científica, que nos ajudam a abrir novos horizontes para a integração da ciência e tecnologia espacial na sociedade

O Espaço está bem presente nas nossas vidas, mesmo sem darmos por isso. A tecnologia espacial atual pode por exemplo orientar as nossas deslocações, assegurar as telecomunicações, ou no auxílio em situações de crises ou catástrofes LER MAIS >>

 

Missão Espaço

As primeiras 3 sessões da 4.ª edição d’O Espaço à Quarta estiveram inseridas na programação da Missão Espaço, a última exposição interativa que tivemos no Pavilhão do Conhecimento - Centro Ciência Viva. Entretanto, a exposição já 'descolou' para outras paragens no início de abril. Clique no link indicado para saber como foi!

 

Sessões da 4.ª edição

 

(em constante atualização)

31 de janeiro

Um COP(o) meio cheio

 
Reveja a sessão

Porquê este tema?

O acordo da COP 28  - a 28.ª edição da Cimeira do Clima promovida pela ONU, que decorreu em dezembro de 2023 - prevê a redução gradual e feita de forma equitável dos combustíveis fósseis e o controle das emissões de metano . A importância dos sistemas naturais como o oceano e a floresta estiveram em foco nesta edição. Para saber mais, consulte aqui o comunicado de imprensa  publicado no final do encontro.

Na primeira sessão d’ O Espaço à Quarta desta edição fizemos um debate sobre os resultados da COP e a contribuição das ciências e tecnologias do Espaço para a sustentabilidade através da monitorização do CO 2 e do metano. Deu-se particular destaque ao contributo das energias renováveis para o cumprimento do acordo de Paris e à monitorização destes gases de estufa a partir do Espaço.

 

Convidados

A ESA apoia a análise dos orçamentos regionais de carbono com base nos resultados de modelos dinâmicos globais. (© ESA)

Recursos

 

Dois dos convidados desta sessão tiveram a amabilidade de partilhar connosco alguns documentos que poderão ser úteis para a prática letiva dos docentes: os slides apresentados por Isabel Trigo; o boletim da eletricidade renovável e estatísticas importantes sobre a energia proveniente de fontes renováveis utilizada para consumo nacional, ambos referentes ao ano de 2023 (Pedro Amaral Jorge). Clique em cada uma das imagens para a respetiva visualização.

28 de fevereiro

O que se passa nos polos não  fica nos polos... 

 
Reveja a sessão

Porquê este tema?

O que acontece ao planeta se os glaciares fundirem? O que podem as ciências espaciais fazer para nos ajudar?

Nesta sessão, debatemos a situação atual das regiões polares e procurámos perceber em que medida as alterações a que estas têm sido submetidas têm influência no clima a nível global. Falámos também do contributo das ciências espaciais para monitorizar os polos.

António Guterres, Secretário-Geral das Nações Unidas, afirmou que “o que acontece na Antártida não fica na Antártida”, referindo-se ao potencial catastrófico do aquecimento global do planeta devido aos combustíveis fósseis. Inspirámo-nos nesta frase para dar um título a esta sessão, “O que se passa nos polos não fica nos polos”.

 

Convidados

Segundo estudos recentes da ESA, atualmente a Terra perde cerca de 1 milhão de milhões de toneladas de gelo por ano. Qualquer coisa como um enorme cubo de gelo com as dimensões 10 km x 10 km x 10 km ou 12.000 vezes o uso anual de água em Oslo, na Noruega (© ESA)

Recursos

 

Todos os convidados desta sessão partilharam connosco as suas apresentações, que poderão ser úteis para a prática letiva dos docentes. Todos os ficheiros foram convertidos para PDF e alguns têm links para vídeos. Clique em cada uma das imagens, descarregue o respetivo ficheiro e maximize para uma melhor visualização:

27 de março

Espaço para a Saúde 

 
Reveja a sessão

Porquê este tema?

A investigação sobre os efeitos da exploração espacial no corpo humano tem proporcionado várias descobertas sobre o nosso metabolismo e tem levado ao desenvolvimento de produtos e procedimentos médicos.

Nesta sessão ficámos a conhecer alguns exemplos dessas descobertas e falámos do impacto do Espaço na medicina, em parceria com o Centro de Estudos de Medicina Aerospacial da Universidade de Lisboa (CEMA).

Relacionámos este tema com a nossa exposição Missão Espaço, agora terminada, onde se encontravam vários spinoffs espaciais, alguns deles na área da medicina.

 

Convidados

Alguns médicos trabalham com a indústria espacial para desenvolver tecnologias e tratamentos inovadores. Na imagem, o astronauta da ESA Matthias Maurer faz testes à retina a bordo da Estação Espacial Internacional. (©DLR - Centro Aeroespacial Alemão)

Recursos

 

Disponibilizamos aqui a apresentação de Lígia Coelho sobre o projeto AstroCup (e não só). Clique na imagem para descarregar o ficheiro. Sugerimos também as atividades da Missão X (veja também nos recursos) e a leitura de um artigo científico referido por Duarte Conchinhas sobre as adaptações fisiopatológicas humanas ao ambiente espacial.

Partilhamos ainda a montagem da Missão CAMões que foi mostrada na sessão por Pedro Marques-Quinteiro. Clique na imagem para saber mais sobre esta missão análoga e (re)ver a sua colaboração com as escolas, com a ajuda do ESERO Portugal:

17 de abril

Os amanhãs do Tempo

 

Reveja a sessão

Porquê este tema?

Qual a diferença entre o clima que esperamos e o tempo que vai fazer amanhã? Como se fazem previsões meteorológicas cada vez mais precisas? E como nos podemos preparar para uma maior frequência de eventos extremos?

Nesta sessão falámos sobre meteorologia, tempo (atmosférico) e Clima com a nossa convidada e respondemos a estas e outras perguntas. 

 

Convidada

 
O tempo atmosférico pode mudar em poucos minutos, horas ou dias. O clima refere-se às condições meteorológicas médias numa área específica num período de 30 anos ou mais. Clique na imagem para ver a infografia original da ESA. (©ESA)

Recursos

 

A nossa convidada Ângela Lourenço fez uma simulação de um boletim meteorológico durante a sessão e explicou como é o dia a dia de um meteorologista no IPMA. Clique na primeira imagem para descarregar e visualizar a sua apresentação.  Os vídeos dos slides 19 e 20 foram convertidos em formato GIF e podem ser vistos nas duas imagens seguintes:

22 de maio

Um oceano de vida

 

Porquê este tema?

Como gerir as fontes alimentares de origem oceânica de uma forma mais eficiente? Podemos prever a proliferação de algas nocivas?

No Dia Internacional da Biodiversidade, vamos saber como os satélites de observação da Terra nos ajudam a monitorizar a vida no Oceano, desde a clorofila às migrações dos animais.

 

Convidados

(em atualização)

O instrumento de medição da cor da terra e do oceano do Sentinel-3 fornecerá dados para uma grande variedade de produtos biogeoquímicos marinhos. (© ESA/ATG medialab)

 

1.ª edição

 

Clique na imagem para ver as sessões e conhecer os convidados da primeira edição.

 

2.ª edição

 

Clique na imagem para ver as sessões e conhecer os convidados da segunda edição.

 

3.ª edição

 

Clique na imagem para ver as sessões e conhecer os convidados da terceira edição.

 

Organização e Apoios